[Entrevistando o Autor]: Nicolas Catalano 2#

13 de janeiro de 2016

(Bate-Papo no Divã 2#)



16.
  O que o motivou? Teve o apoio de alguém especial?
Acredito que foram as visões futuras de eu conseguiria transmitir algo do bem ao mundo. A minha irmã, em especial, me motivava no sentido ‘inspiração’. Pois ela sempre desenhava carinhosamente cenas do livro.
Tive grandes apoios da minha família e dos meus padrinhos literários. Eles são a minha SUPER equipe!

17.   Qual suapercepção ao escrever? 
Que a escrita transforma as pessoas. Deixando-as sempre melhores, de alguma forma. Leves...

18.  Quanto tempo demorou a escrever seu primeiro Livro? 
4 anos em média. Entretanto, o livro foi roubado em minha própria casa... em 2010. O que demorou ainda mais o processo! Foi traumático pois tive que começar do zero... Mas confiei: tudo tem o seu motivo e a sua hora certa.

19.  Tem algum ritual ou mania para escrever? Qual? 
Haha! Gosto sempre de sentir-me “limpo”. Não digo no sentido da higiene só (rs!), mas, também, no sentindo da mente e do espírito. Eles têm que estar leves. Assim tudo tende a fluir de uma maneira bem tranquila.
E, ah! Sempre ouço músicas de grande efeito para me inspirar. E gosto de ter momentos que criam valores que um dia serão nostálgicos na minha vida. Isso é muito inspirador!

20. Em questão da publicação de seu primeiro livro: O que foi mais difícil desde a obra pronta até seu Lançamento? 
Hm... Saber que o Brasil lê “pouco”. É muito difícil tornar-se um escritor num país onde as pessoas não prezam a leitura. Não prezam o amadurecimento e sabedoria da mente... O que é muito importante nos dias de hoje! Pois o futuro está nas mãos das crianças e jovens.
Aliás, encontrar uma Editora não foi nada fácil. Enviei o manuscrito de Espelho dos Olhos a 5 editoras. Contudo, esperei 8 meses após o livro ter sido finalizado.

21.  Ainda hoje, encontra dificuldade em publicar seus livros?
Sim. Pois tudo depende do público alvo. E, como eu disse lá em cima, na questão anterior, o Brasil não ‘ajuda muito’ (infelizmente...). Além da maioria das Editoras que prezam muito o autor internacional. Entretanto, tudo está melhorando. Tudo irá melhorar! Eu espero inspirar as pessoas a ler diariamente. De verdade. Quero a evolução do ato da leitura! E a evolução da mente, principalmente!

22. Como você ver a parceria com blogs?
São magníficos. Como “anjinhos da literatura”. Não há uma sequer injustiça! E tanto o autor do livro quanto ao autor do blog, saem ganhando! É uma troca justa. E isso ainda ajuda muito o autor do livro a ficar conhecido nas mídias sociais. O que, aliás, tende a só crescer no mundo todo (em ambas partes)...

23. O que inspirou os personagens? São inspirados em pessoas reais?
Foi uma junção de vários fatores. Como: sentimentos puros; desejos benéficos; acontecimentos reais e irreais; músicas mágicas; cenas ideais; sonhos lúcidos, pessoas boas, simbólicas, malucas, descompensadas e descontroladas.
Uhum... Uma grande parte dos personagens é inspirada em pessoas reais. Rs!

24.  O que inspirou os nomes?
A diversidade. Eu quis misturar um pouco de nomes “malucos” (criados por mim) com nomes reais localizados no continente asiático; pois é exatamente lá que a história acontece!

25.  Das suas obras, qual seu personagem favorito? Por quê? 
Fiquei pensando agora... Rs! Difícil. Cada um é muito único e raro. Mas não há como negar. A Evangellyne Allins (a narradora da história) é a minha personagem favorita. Ela tem um coração puro. E... isso não tem preço nesse mundo!
Aliás, Evangellyne é alguém que considero extremamente especial! Pois nasceu diferente do que a sociedade considerava “normal”. Então, uma revelação custou a própria identidade, além do risco da vida de seu próprio pai.
Bem... Ela tem amor demais em seu coração, o que torna as coisas mais... digamos... complicadas.

26. O que mais lhe chama a atenção em suas obras? 
O modo como é descrito cada pessoa. Nenhum personagem é “em vão”. Todos eles têm alguma preciosa lição. Mesmo que a maioria deles possa parecer extremamente “transtornada e caótica”.

27.  O que acha dos escritores atuais? E os mais antigos?
Acho eles super incríveis! Graças a eles, tive grandes inspirações para me tornar aquilo que realmente queria ser: um escritor. Carolina Munhóz é um grande exemplo para mim. Eu a conheci e foi uma experiência que me causou energias magnificas.
Sobre os antigos: são super incríveis também. Fundamentais. Mas eu, particularmente, sinto que eles transmitem valores de época. E, ah! Que a literatura tem tomado novos rumos!

28. Qual livro recomendaria aos seus Leitores? Por quê?
Além do meu (brincadeira, rs), recomendo “Alice no País das Maravilhas” – Lewis Carroll. Pois é um livro inteligentíssimo. Muitos podem pensar que é do gênero “literatura infantil”, mas... muito pelo contrário! O livro possui altas metáforas que só poderão ser entendidas por adultos. Aliás, é um livro que te conduz às mais incríveis reflexões da vida.

29. Um recado para os leitores?


Acredite nos sonhos que persuadem o seu ser mais intimamente. Tenha foco, fé e positividade nas ações. Abasteça o seu combustível com pensamentos bons e alegres. Vibre à felicidade! A vida acontece. E tudo tem o seu tempo certo. 

Livro do Autor


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.